Conhecendo o Rei: “Entre duas cruzes, brilha a luz das luzes”

3862 VISUALIZAÇÕES DEIXE UM COMENTÁRIO
calvario

“E esta é a mensagem que dele ouvimos e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma. Se dissermos que temos comunhão com ele e andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:5-7

Há uma frase que diz: “Como luz, Deus revela a si mesmo em sua perfeita santidade e majestade.” Ser luz é mais uma característica que reflete a pureza, santidade e soberania do Senhor. Foi meditando na passagem de 1 João 1 que pude me aprofundar a respeito da luz de Deus e o quanto ela pode brilhar em nós.

A Palavra relata que Deus é luz, não há nele treva nenhuma e os que não andam na luz não têm comunhão com ele. Assim, se quisermos estabelecer um relacionamento com Deus, precisamos entender que as trevas não podem cobrir o nosso coração. Mas, em meio às trevas, como andar na luz?

A luz de Deus não só reflete a sua glória, como também a ausência de trevas; essa ausência foi vivida e demonstrada aqui na terra através do caráter de Jesus. Nele não havia impureza, nele não havia pecado. A sua vida é o maior exemplo a ser seguido por nós, seres humanos. Em Isaías 60, o profeta fala que as trevas cobriram a terra, mas o Senhor viria surgindo (v. 2) e as nações caminhariam à sua luz (v. 3).

O primeiro passo para andar na luz é seguir a Cristo e imitá-lo. Ele é a luz do mundo e a sua luz brilha em nós, por isso a nossa vida deve, acima de tudo, refletir o seu caráter. Isso inclui reconhecer a sua vinda e o verdadeiro significado dela. É necessário entendermos que o sangue de Cristo foi derramado para que possamos encontrar essa luz e vivê-la; o verso 7 de 1 João 1 já diz: Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.

Paralelo a isso, precisamos entender também que a purificação por meio do seu sangue é um processo contínuo, diário. O que significa que temos de reconhecer que somos falhos; qualquer um que caminhe na luz de Deus não pode deixar de reconhecer a sua natureza pecadora. John Piper já disse: “Confessar os pecados é uma parte do andar na luz, que temos de praticar, a fim de que o sangue de Cristo continue a purificar-nos de nossos pecados.” O sangue de Jesus nos purifica e nos santifica a cada dia. A palavra ‘santificação’ pode também ser traduzida para um contexto de ‘separação’. Jesus veio ao mundo para separar a luz das trevas.

Além de tudo, o segundo passo é lembrarmos do versículo que diz: “Luz para os meus caminhos, lâmpada para os meus pés é a tua palavra.”. Esse e outros dos Salmos 119 (o capítulo inteiro, eu diria) revelam-nos que não há vida cristã, sem o conhecimento da Palavra de Deus. “Guardei em meu coração a tua palavra, para não pecar contra Ti” (v. 11). A Bíblia é simplesmente o manual para andar na luz. Se quisermos caminhar na luz do Senhor, precisamos mergulhar nela, meditá-la e, principalmente, vivê-la -o que nos leva ao primeiro ponto, viver o caráter de Cristo.

Lembremos que Jesus não apenas disse ‘Eu sou a luz do mundo’, como também ‘Vocês são a luz do mundo’. Ele é a luz das luzes e aqueles que o seguem e o imitam, brilharão a sua luz e iluminarão o mundo.

 

AUTOR (A)

Rayanne C Antunes

18 anos, pernambucana, acadêmica de Engenharia, membro da Comunidade Cristã Evangélica, colunista do Servos de Jesus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>